Confesso que não sou dos mais chegados a computadores e a máquinas em geral. Aliás, por conta disso, virei motivo de piadas e uma lenda entre meus colegas. Wagner Costa, por exemplo, conhecido autor infanto-juvenil de São Paulo, devido ao meu receio diante de viagens aéreas e minha declarada paixão por viagens de ônibus, me sapecou a definição de “autor rodoviário”. Por outro lado, meus editores são os caras mais sensacionais do planeta, pois agüentaram durante anos meus originais chegarem às suas mesas datilografados (por isso e não sem certa relutância, recentemente resolvi o problema, incorporando ao meu processo criativo duas criaturas importantíssimas: inicialmente foi a Priscila e posteriormente a Bianca, minhas amadas digitadoras).

Por favor, gente, não me tomem por um medroso anti-tecnológico! Viajo de aviões se necessário e sei lidar muito bem com um computador. Apenas não curto e, creiam meninos e meninas, a vida é antes de tudo, acima de tudo, o prazer que encontramos ou tiramos dela. De qualquer forma, no ano passado tropecei com uma realidade que me surpreendeu mas, acima de tudo, me deixou bastante comovido. Indo à cidade de Santos para uma palestra no colégio marista local, descobri a Camilinha Fashion.

O quê?

Você não sabe quem é?

Meus amigos, não sabem o que estão perdendo.
Camilinha é uma magricela das mais simpáticas (apesar de na ocasião ela estar bem tímida, seus olhinhos brilhantes e intensos a traíram) e uma fã das mais devotadas.
Eu a encontrei na casa de uma grande amiga que mora naquela cidade e foi através dela que descobri algo interessantíssimo: havia meninos e meninas como ela se encontrando em comunidades na internet e que tinham a mim e a meus livros como foco de suas discussões e interesses.
Acreditem, não experimentava uma sensação tão gostosa assim, aquele misto de alegria, estranhamento e apreensão desde que meu único filho nasceu.

Sabe o que é descobrir que tem gente se encontrando por aí para falar daquilo que você escreve?
Nem eu, até a Camilinha aparecer na minha vida.

Escrever é algo solitário. Talvez por isso eu goste tanto de minhas palestras em escolas pelo Brasil e, de vez em quando, pelo mundo afora, pois elas são a oportunidade de conversar com aqueles que lêem meus livros e de partilhar com eles o prazer e a paixão que me mobiliza a ir todo dia (quando estou em casa, claro) até a minha boa e velha Línea 98 (sou um homem fiel, eu não disse?) e preencher folhas e mais folhas com minha imaginação (algo que acontece dentro dos ônibus da minha vida e explicação do por que carrego sempre tantos bloquinhos dentro de minha pasta). Valho-me delas também para fazer minha profissão de fé, apresentar minha crença na leitura para criar seres pensantes e logicamente interessantes, algo de que o mundo necessita até com desespero nos dias de hoje em que se valoriza tanto o nada e a superficialidade, onde a inteligência muitas vezes é olhada com desconfiança e desinteresse.
A idéia desta página nasceu por causa da Camilinha e serve para que todos que gostam do que escrevo e até os que não gostam (ué, vivemos numa democracia, gente! E além do mais, como dizia o Nelson Rodrigues, a unanimidade é burra) possam me encontrar.

Sejam bem-vindos!


Júlio Emílio Braz


 
  Porque os livros contêm as experiências, a imaginação e todo o universo de pessoas diferentes, em qualquer lugar do mundo. Livros são pontos de referência para os estudos, para o conhecimento e para a imaginação. Ler é aprender mais, é saber mais. Quem lê muito aprende muito e se diverte muito também! Porque um livro é capaz de nos fazer viajar por lugares nunca vistos, é capaz de nos mostrar vidas diferentes das nossas, mundos diferentes daqueles que conhecemos. Através da leitura podemos nos emocionar, chorar, torcer, aprender sobre outros povos, outras culturas e outros jeitos de pensar. Com um livro nas mãos podemos nos tornar pessoas mais cultas, mais inteligentes e mais preparadas para vida, sempre!

Na verdade, na verdade mesmo, a maioria das pessoas só considera como literatura os livros escritos para os adultos. Por quê? Porque a literatura infantil e juvenil, no Brasil e em boa parte do mundo, é considerada “coisa de criança”. E se é “coisa de criança” não é coisa séria. É assim que muita gente pensa. Coisa de criança sempre é brincadeira. E coisa de adolescente também não é coisa séria….
Mas, na verdade, não é nada disso. Aqui no Brasil, a literatura para crianças e jovens é muito séria, é comprometida, é de altíssima qualidade, talvez uma das melhores do mundo, sem exageros!
E se pensarmos que é na infância que as crianças começam a entender este mundo onde vivemos, podemos compreender melhor o papel da literatura infantil. E se pensarmos que é na adolescência que as pessoas atravessam a ponte para a vida adulta, podemos compreender inteiramente o papel da literatura juvenil.
Os autores brasileiros escrevem sobre tudo: sobre o país, sobre as condições desiguais, sobre as crises emocionais, sobre as alegrias, tristezas, conflitos, medos, inseguranças, lazer, estudo, amadurecimento, ecologia, aventuras… a lista de temas é imensa!
Então, respeitar e sobretudo LER esses livros pode revelar aos leitores de qualquer idade um universo novo, muito rico e bastante especial. Afinal, a maioria dos livros infanto-juvenis são escritos e produzidos aqui mesmo, no Brasil, como os nossos autores e com os nossos recursos.
Aprender com livros que ensinam crianças e jovens a ler o mundo de forma mais rica: isso é especial!


  
 
Escrever é…

Resposta: OXIGÊNIO
Ser um escritor é…

Resposta: EXISTIR
Ter filhos é…

Resposta: UM MISTÉRIO
Uma paixão…

Resposta: APENAS UMA?
Um sonho possível…

Resposta: O IMPOSSÍVEL REALIZADO
Um sonho impossível…

Resposta: DEMORA MAIS UM POUCO PARA SE REALIZAR
Um sonho de consumo…

Resposta: UMA CASA
Um grande ator no mundo…

Resposta: ANTHONY HOPKINS
Um grande ator no Brasil…

Resposta: MATEUS NACHTERGALE
Uma grande atriz no mundo…

Resposta: HELLEN MIRREN
Uma grande atriz no Brasil…

Resposta: IRENE RAVACHE
Um livro que tem muito a ensinar…

Resposta: O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO, de Jerome Salinger
Um filme que tem muito a ensinar…

Resposta: SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS
Um livro inesquecível…

Resposta: CHAMADO SELVAGEM, de Jack London
Um filme inesquecível…
Resposta: LAURA, de Otto Preminger
Uma peça de teatro inesquecível…

Resposta: UM INIMIGO DO POVO, de Ibsen
Música inesquecível…
Resposta: FEELINGS, com Morris Albert, trilha sonora da primeira grande paixão
Música favorita…
Resposta: CALIFORNIA DREAMINGS, The Mamas and The Papas
Um grande escritor…


Resposta: MOACYR SCLIAR
Uma grande escritora…

Resposta: PATRÍCIA HIGHSMITH
Um grande poeta…

Resposta: FERNANDO PESSOA
Uma grande poeta…

Resposta: FLORBELA ESPANCA
Viagem dos sonhos…

Resposta: LONDRES
O século XXI é…

Resposta: UM ASSUSTADOR PONTO DE INTERROGAÇÃO
O Brasil é…

Resposta: UM ENIGMA
O planeta Terra é…
Resposta: O COMEÇO DE UMA GRANDE ODISSÉIA ESTELAR
A vida é…
Resposta: INDESCRITIVELMENTE MARAVILHOSA, PENA QUE NÃO TENHA BIS

Júlio Emílio Braz