Para mim, o meu amigo Júlio Emilio Braz é um escritor fantástico, talvez o melhor na área juvenil e infantil no Brasil. Eu sou berlinesa e tive o prazer de traduzir seu livro Crianças na escuridão, com o qual ganhamos o prêmio de melhor livro infantil/juvenil na Áustria em 1997 e que em 2007 foi reeditado. Adorei fazer com ele uma viagem de leitura à Suíça, durante a qual eu percebi quanto carinho ele tem pelas crianças, que adoravam o Júlio mesmo que ele não falasse alemão.

Para mim, o Julio tem o coração muito grande, é um ótimo escritor, com um humor bom demais e nunca se cansa de dar o seu melhor e lutar por um Brasil mais justo e com mais consciência. Ele me inspirou muito a escrever também, pois desde que moro na Espanha — faz 4 anos que moro na Ilha de Mallorca — trabalho como jornalista. Estou com saudade do Brasil e do Júlio e espero muito poder vê-lo em breve outra vez.

Bettina Neumann
Jornalista e tradutora

O Júlio é um dos melhores autores que conheço. Criativo, rápido e certeiro na palavra, não só nas histórias de cunho social como nas policiais, nas adaptações dos clássicos…enfim, um autor 360 graus. Não importa o desafio, seja do editor ou do desafio que faz a si mesmo, segue escrevendo com alma, garra, muita pesquisa, sobre qualquer assunto e em falas variadas…criança, pré-adolescente, adolescente, jovem adulto, eternas crianças (como eu, sua leitora e fã). Como leitora, ficava imaginando o trabalho braçal que era colocar todas as idéias no papel; como amiga, sei que o faz com muita facilidade, pois escrever para ele, é parte dele mesmo.
Não é sacrifício. É dom, é delícia, é sangue na veia e na escrita.

Telma Guimarães
leitora, amiga, co-autora e, principalmente, fã!



Falar do Júlio é muito fácil.
É só falar de caráter, dignidade e de gente que é gente.
É falar do bom combate, de vitórias partilhadas, de vergonha na cara.
É falar de alguém que fala com as mãos tudo aquilo que está em nossos corações e não conseguimos, por que não temos a mesma ousadia, coragem e criatividade que o Júlio tem.
Conheço o Júlio desde os tempos em que ele fazia roteiro para histórias em quadrinhos e posso garantir, esse cara não tá no gibi.
Alguns dizem que o Júlio é polêmico. Não acho.
Pra mim o Júlio é honesto no que fala. Polêmico é o sistema que nos rodeia. O Júlio vê tudo isso e transforma em poesia. Sim, poesia…
Os contos do Júlio nos levam a pensar… As vezes rir…As vezes chorar. As vezes fechamos o livro antes de terminar a história só pra olhar pra lugar nenhum e acabamos dizendo entre os dentes: Caramba!! Porque é que não pensei nisso antes?!
Mas a resposta é simples: Tinha que ser o Júlio. O Júlio Emílio não deve pensar pra escrever…deve usar o coração.
Júlio Emílio Braz…il!
Este é o único momento em que nos dá orgulho de escrever Brasil com Z.

Jótah
ilustrador

O grande autor Júlio Emílio Braz.

Este mineiro que adotou a linda Cidade do Rio de Janeiro é uma pessoa adorável. Seu carisma com os jovens é impressionante, todos querem ler livros do Julio, neles você pode encontrar aventura, amor, amizade, problemas do cotidiano, alertas contra o racismo e muito mais.
Julio consegue traduzir as emoções e momentos polêmicos da vida de um jovem. Falando a mesma linguagem, este autor se comunica com o seu público por meio de histórias reais ou criadas, sem moralismo e de forma atraente e informativa.
Desse modo, Julio se consagra cada vez mais dentro e fora do Brasil. Mas, mesmo assim, este incrível autor mantém suas principais características: a generosidade, a humildade, a sede de lutar pelos oprimidos, entre tantas outras.
Ao Julio, meu eterno agradecimento por confiar no meu trabalho e um abraço fraterno desta editora que será eternamente sua fã.

Soraia Luana Reis
Diretora editorial
Larousse do Brasil